CONTOS LODISTAS ULTRA-MÍNIMOS (tomo II)

Conto do Mangue IV
Esperava pela morte, em silêncio, no escuro. Subitamente, percebeu que não precisava esperar. Levantou-se, apertou o interruptor da luz, e foi atrás dela.

Conto do Mangue V
Pensava na mãe. Os projéteis zuniam por sobre a trincheira. Meteu a mão num bolso, tirou um cigarro amassado do maço, levou-o até a boca, e permaneceu com ele apagado por toda a madrugada.

Conto do Mangue VI
Afundando a canela no lodo, gritava por socorro. Daí veio quem ele menos esperava.

Conto do Mangue VII
— Espere, eu não me lembro de ter feito isso!
— Agora é tarde, Maria. Arranque logo essa peruca vermelha, ponha o vestido e o véu, e esteja na igreja em quinze minutos.

por Pedrim Peroba

Anúncios

3 comentários em “CONTOS LODISTAS ULTRA-MÍNIMOS (tomo II)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s