Respostas poéticas e injustas

Na eterna mendicância
do amor fracassado
perde-se toda potência
e morre-se de enfado

desista ó amador
amante ou desistente
ama desta forma a dor
que vem forte e latente

DSC_8353De dentro do seu quarto sentado ao lado da escrivaninha, o poeta matutava ansiosamente como terminar aquele verso. Deveria anotar então em um guardanapo sujo e velho e guardar dentro de um livro para terminar depois. Percebeu então a ironia. Guardaria dentro das páginas emboloradas de um livro um pretenso começo de um suposto livro que nunca seria escrito. Resolveu então mudar a história e colocar um rapaz apaixonado e frustrado que escrevia coisas em guardanapos e não encarava o amor como deveria.

Anúncios