o olho que BRILHA

quando aqui venho sempre brilha meu OLHO
na leitura dessa poesia com molho
eu falo desta longa ausência do intercâmbio tosco
das idéias, do meu velho poetar, quase um encosto

muitas pessoas no mundo
o mundo deveria ter menos gente
velho mundo vagabundo
cada vez cada vez mais quente

líderes do nosso movimento, parabéns por tudo
nessa selva de dúvidas, as vezes posso ser surdo-mudo

  1. acesse os acessórios no acesso escondido de sua cabeça

Será que se fosse assim?

Homem-Ampulheta
Não vê o tempo
Passar
Vê o mundo
Deslocar-se
Se o se jogasse
Seria outro jogo!

Planejamento

cada plano que fizemos

e nada aconteceu

tantos planos em vão

sonhos futuros

fazer pouco caso dos moribundos

no melhor do mundos

previsões apocalípticas

adoramos esta técnica

riffs rasgam o vento

som que dá o choque térmico

vendo veleidades maravilhosas

através de vídeos onde idéias

planam loucas por um céu de besteiras inóspitas

fugimos, fugimos distantes

mas como lagartixas abandonamos o próprio rabo

Medo do mundo moeda

HDP junto aos jacarés

Quando o dinheiro não mandar no mundo
não existirá mundo se não moeda
mãos que alimentam esta moenda
carne crua sendo moída

Dadica