Fome não se come

hamburger
Quanto menos se come

Mais se vive

Alimente suas frustrações

enchendo a boca de vento

O que é a fome?

Se não uma ilusão

do vazio

O que é o prolongamento da vida?

Se não o atraso da morte que virá

inexoravelmente

Não coma!

Estilo faquir!

fast-poesia

 

na histeria do incompreendido 
os gritos se fazem escutar 
lancinantes lamentos 
um gigante descontente 

aponta para o alto 
e diz – eu sou mais eu 
ignoro o outro 
não existe mais ninguém 

mea-culpa 
sua rua é tosca e rota 
a rota é ruminante 
vai e volta num intervalo constante 

O jacaré que morava na boca

josé jacaré collage

Meu nome é José Jacaré
moro dentro da boca dum zé-mané
Pequeno, vejo grande
Escondido, sei de tudo
Aguardando, a hora do bote
Alimento-me quando há sorte
Sou cascudo, sou forte
Sou sinistro, conheço a morte
Aguarde-me pois bolei um mote
e sei bem onde fica o norte

o olho que BRILHA

quando aqui venho sempre brilha meu OLHO
na leitura dessa poesia com molho
eu falo desta longa ausência do intercâmbio tosco
das idéias, do meu velho poetar, quase um encosto

muitas pessoas no mundo
o mundo deveria ter menos gente
velho mundo vagabundo
cada vez cada vez mais quente

líderes do nosso movimento, parabéns por tudo
nessa selva de dúvidas, as vezes posso ser surdo-mudo

  1. acesse os acessórios no acesso escondido de sua cabeça

Olho de lince


ao olhar um semblante tranquilo
apenas imagino se aquilo
é um sorriso escondido
ou uma cara de enfado

ao sonhar com uma vida melhor
percebemos que acordar é pior
e voltamos pro cobertor quente
o travesseiro, ele sim, ama a gente

tanta gente é indigente
tanta gente nesse mundo
tanda imundície nas vielas
tanta gente nas favelas

num comício imaginário
políticos respiram um ar pesado
cairam como um otário
vendo o fuzil armado

Postado por G-Shakespear

10 razões para o suícidio

Torcida dos Homens do Pântano

1- Não completude dos planos secretos de sua mente

2- Decepções com o estado ecológico do multiverso

3- Descoberta das múltiplas dimensões alternativas

4- Ambivalência dos discursos terrenos

5- Superioridade da ideologia religiosa ignóbil e fraca

6- Inverdades que se multiplicam

7- A felicidade como obrigação

8- Acreditar que na outra vida existirão outras drogas mais poderosas

9- Desconhecimento total, pasmaceira terrível, o plano das idéias se agiganta

10- Tédio

Postado por Indignado Depressivo

Desabafo real de um outsider arrependido

Na vida, muitas vezes a fama vem antes da realização.  Tantas pedras foram puladas, tantas noites de estudo, tanto tempo lamentando, aí quando o sucesso chega, a pessoa fica meio sem saber o que fazer com ele. A realização não quer dizer absolutamente que você será conhecido por fazer bem o que faz realmente bem. Muitos humanos pedantes fazem cara de pedintes ao contemplar seus feitos. Como saber o que é inveja e o que é admiração? As vezes a fama é de vagabundo, deslocado, desconectado do multiverso.

Quase sempre aquele que menospreza-te não possui a chave para o portal mágico. Só mentes avançadas atravessam o portal, já foi dito aqui e já foi dito em outros lugares. Todo o status-quo de nossa obra vacilante pende por demais de pontes frágeis, vaga solitária no topo de montanhas longínquas do sentido total. Dois mil anos de inferno, dois mil dias de inverno. Rimo rimas num caderno, um futuro tão incerto. Se cada uma dessas verdades se tornasse realidade, todo o sentido sumiria.

Mas e aí? Cada pergunta serve para engrandecer o grande sistema místico, onírico que nos retroalimenta. Saudades da cada mente desengonçada, de cada palavra mal colocada, de cada cérebro-mendigo, que vacilava por uma berlota de sentido num mundo enfumaçado e injusto. De dentro da gruta, gritavamos – Ei vocês, asseclas do poder constituído, olhem para nós, carregamos a verdade da rua suja, do esgoto, de cada perdigoto. Somos os monstros da lama, as criaturas do charco, somos a mentira em forma de palavras, somos a larva das lavras, somos a pepita escondida em baixo do tapete.

Palavras primas

Como são cretinas
as mais simples rimas
juntar amor e dor
tremendo dissabor

Como são cretinas
as palavras primas
paixão e coração
rimando em comunhão

Como sou cretino
busco de menino
fazer brotar algum
melhor lugar comum

(G-Shakespear)

Mensagens que se conectam no infinito

homensdopantano
 
rótulo vira estigma
o pré-juízo atormenta as mentes lentas
piedade amesquinha o outro
quero bolsa-lama
16:20 se aproxima
quanta coisa é feita a toa neste planeta
na vida damos vários moles
só vendemos sonhos, sons para sonhar, só isso
quantas mortes acontecem em nome de supostos deuses…muitas
a sustentabilidade não se sustenta
não sou uma pessoa, sou uma entidade
Todo Bóson de Higgs possui a sabedoria eterna
Se a partícula é divina
Somo só rastros no chão de luzes do universo

 

Extremamente normal

Não desrnoteie

Comemore indiretamente

A morte do poeta

Inimigo-comum da realidade

Nas cinzas que sobrarem

Morra junto com ele

Duvide da arte

Interaja com a loucura

Faça isso tudo

E chore

A morte do poeta

Traz toda a pobreza de sua vida

Que nada fez

Que nada criou

Que não foi

Nem veio

Veja

A morte do poeta

é apenas mais uma morte

Com sorte, morrerás junto

Serás o poeta-defunto