Abrindo os portões do futuro

Temos visto coisas estranhíssimas nos últimos dias. Vocês se lá estivessem não acreditaram. Todos que aqui visitam tem noção que na verdade não estamos aqui, não é mesmo? Pois é. Nesta nossa saga infinita para conseguirmos sair do pântano psico-poluidor que nos aprisiona, volta e meia conseguimos através de uma nesga enxergar traços da ignóbil realidade.

Mas aí perguntamos a nós mesmos. Será melhor viver assim na ilusão? Não sabemos. Recentemente recebemos a visita de Dundes, Fadas e Gnomos. Pequenos seres que convivem conosco normalmente aqui no limbo interdimensional que habitamos. Cansados de tanta mazela vemos através do espelho mágico que o futuro se imuscui com o passado e nada nunca muda.

Tentamos mudar nosso caminho mas prosseguimos na caminhada. Estamos constantemente tentando sair daqui para dar os recados que nos foram passados pelos nobres pequenos seres mágicos. A Mãe-Natureza que vive aqui no nosso colo, numa espécie de altar pára-religioso, misto de estátua e ser etéreo, ela cansa de nos deixar mensagens cifradas sobre como devemos proceder no caso de conseguirmos alcançar algum tipo de passagem.

Diz ela: Rapazes, caso vocês consigam abrir os famigerados portões, seja eles os de Zion ou outros quaisquer, devem estar preparados para a ignorância. O ser humano lá fora acha que é o dono do universo e o senhor do planeta. Mas ele é frágil e sabe muito pouco meus filhos. Por isso mando meus pequenos servos lhes avisar. O futuro não existirá a não ser que nós queiramos.



Anúncios

É pela pele

É pela pele

que afloram meus defeitos

pus quer sair pela pele

perebas, pústulas, caspa

defeitos intermitentes

pare

palavras novas

trazem dores antigas

palavras livres

loucas vidas

vivas

veja

as

aqui

numa piscina de fracassomaníacos nado contente

fixados em distorcer, estão distorcendo

o tempo

desafiando em ritmo lento

as amarraduras do status-quo

doenças aproximam-se

instala o alcoolismo, a compulsividade,

a loquacidade frenética do nada dizer

a velhice contumaz

o destino do jovem sucesso alheio, a dúvida e a culpa

o nada, os objetivos e tudo o que nos rodeia

quantas palavras dissociadas de significado

fermentam como cerveja, carburam, transformam-se

compostagem cerebral

saindo fora do normal

é assim o genial?

quantos mais acontece, menos eu sei

vou (vamos) desdeusizando tudo quanto podemos

quem saca a mensagem já volta correndo

pelo caminho do mundo ao-contrário

dos tijolos roxos que voam

saltitamos pedra a pedra

em direção a uma nuvem gasosa

um buraco transdimensional etéreo

la é o fim

que bom que chegou a hora de morrer


			

Arrastão

Cuidado com os arrastões mentais…
Podem botar fogo na sua cuca.

Tá carente de arte?
A gente parte esse bolo
e divide os pedaços
Cacete! Em parte,
a mente que arde (do tolo)
não vê, não sabe,
os erros crassos.

Íncrivel,
quanto mais tempo passa,
mais jovem fico.
Não sequele.
Não entre na onda errada.
Manifeste-se;
ofenda o próximo;
chute a cabeça dos imbecis.

Metaforicamente alcançará a epifania suicida.

E aí, quer morrer?
Saiba que
dEUs desistiu de ti
teu destino é ser xixi.

so-mos huma
passam a
sou só
só so
somas
santos
são som
deus sou
eu

nada-nódua-vento
leve
espaço
buraco
vazio
pouco quase brisa

O segredo do meu sucesso

O segredo do fracassado profissional é um tentar

constante sempre perseguindo a desistência. Nunca

invejar o sucesso alheio pois isso pode alimentar a

o bate-volta em cadeia do mau agouro, do mau

olhado, da secação frenética e o pior de tudo – o

recalque maldito. Um loser como americanamente

poderiamos qualificar não se pauta simplesmente no

presente. Teima ele em sonhar sempre distante, num

utópico futuro longínquo sobrevivem seus sonhos

rarefeitos rodeados por nuvens alvas e céu azul

infinito.

nada


Quem espera sempre alcança é a lenda que os que

chegam primeiro contam aos últimos da fila. Sentado

na beira da estrada já vi vários tropeçarem na

pedra da humildade. Tento não tropeçar neste mesmo

empecilho mas parece que se não me humilho nada

consigo. Isso é papo de mau amigo.

amarelão

Um líder forte deve impor sua vontade cortando

cabeças e deixando membros despedeçados campo de

batalha afora. Afronta é ficar parado num canto só

lamentando e choramingando a sorte alheia e o azar

só seu.

Esse próprio texto sobrevive retroalimentando-se de

seu próprio paradoxo. Paralax diria que você

apenas é um bobo, chato, feio. Eu, nós, vós ou voz

dizemos mais. És um mala atroz, sem asas albatroz.

Uma seca foz, o sal que seca a voz.

Um susto assim é pouco para que um perceba o seu

destino neste universo ou nesse multiverso.

Multipliquem-cam-se os as redondilhas, as

quadrilhas de poetas assassinos. No Palácio Haxixin

várias putas para mim. Se ligou curumin?

O segredo do fracassado profissional é um tentar

constante sempre perseguindo a desistência. Nunca

invejar o sucesso alheio pois isso pode alimentar a

o bate-volta em cadeia do mau agouro, do mau

olhado, da secação frenética e o pior de tudo – o

recalque maldito. Um loser como americanamente

poderiamos qualificar não se pauta simplesmente no

presente. Teima ele em sonhar sempre distante, num

utópico futuro longínquo sobrevivem seus sonhos

rarefeitos rodeados por nuvens alvas e céu azul

infinito.

Na margem do rio

Vocêu não estamos entendendo

Andam respirando ácidos vapores

Esta fumaça leitosa que d´água sobe

Névoa maligna, eflúvios em sua fronte

Será a razão de tanta mágoa?

Envenena as mentes, penetráveis insolentes

É Tiririca ou Oiticica? Toda merda é titica?

Meu sonho de consumo é consumir um sonho insano

Sensações intermitentes, calafrios desumanos

Consumamos! Consumamos! Nessas tetas nós mamamos

Somos só trapos e panos. Estes dias estressantes

hão de nos tornar mutantes

respirando cigarrilhas, extorquindo camarilhas

vestindo-se com o couro do jacaré

extinto – seremos a mancha da tinta

o osso velho d ´um  arqueologista

estranhamento – esse estranho momento

é mais que poesia, foi como eu vi esse eterno dia

obra de Barbazul

O querubim vendedor de ingressos

fya!

pague os malditos cartões de crédito

boletas voadoras juram que os juros não

jamais aumentarão

divida sua dívida em duas metades

com uma pague um capetinha para torturar um anjo torto

com outra faça um investimento em cocaína pura

bote o anjinho para cheirar aquela porra toda

cobre ingressos pela agonia do serafim alquebrado

em overdose

ria

conte piadas com alegria

venda ingressos, crie posters, letterings, designs diferentes, escreva um livro, publique um livro, twitte freneticamente, feicibuque tudinho, escorra

de cada tecla a imagem do anjinho solitário

um burguês otário do reino dos céus

uma divindade tosca

com baba espumante escorrendo do lado da boca

como quem comeu uma pastilha de bicarbonato de sódio

foda!

branco no preto

Share

Neste domingo na Lona de JPA

Flyer_Lona_Jpa

***AGENDA***

Domingo 07-06
Viradão Cultural – Lona Cultural de Jacarepaguá -20:00
Maré Cheia + Filhos da Judith + Homens do Pântano
PRAÇA GERALDO SIMONARD S/Nº PECHINCHA TELEFONE: 2425-4579/2425-0825, Rio de Janeiro


Quinta 18-06
Revolusom – Saloon 79, Rua Pinheiro Guimarães, 79
DSD + Vozes do Gueto + Homens do Pântano + Consciência Tranquila +Antizona + Armada
DJ KS, Grafite e B-BOYS

***MYSPACE***

Visite nosso http://www.myspace.com/homensdupantano, coloquei nossos singles com DJ Fluorenzo por lá.

***BAIXE***
Complete seu álbum de figurinhas já que coisas novas virão por aí:

Ep Pancadão de 5 + Capinha em PDF pronta pra imprimir

http://www.4shared.com/dir/6480957/38ee4c07/EP_-__Pancado_de_5.html

Nossos singles em parceria com DJ Fluorenzo

http://www.4shared.com/dir/6622962/ced89a6a/Remixes_e_singles.html

Alguns vídeos dos Homens do Pântano

http://www.4shared.com/dir/6523961/69f9de1b/Vdeos.html

Abraços de GrandmastaShakespear, novo contratado da banda para gerir essa bagaça

Transcendência

guanabara

quero fazer uma revolução

quero fundar uma religião

só eu! você não

só eu! você não

Eu sou Deus, esse é o caminho

Trate-me com carinho

Eu nasci

Na história em quadrinho

Sou vários e estou sozinho

Zonzinho, zonzinho

Tonto de beber da fonte do poder

Eu só quero transcender

E você? E você?

Quer querer também

Ser mais do que ninguém

Ser simplesmente alguém

Postado por Zuleika Kid

DECÁLOGO DO PÂNTANO: PANDEMIAS

10-commandments

Estas são as epidemias generalizadas que devem ser combatidas. Alerta aos Homens do Pântano!

1- Tabagismo – A porra do cigarro mata 3 milhões de pessoas no mundo. Mata mais que todas as drogas, incêndios, desgraças e a AIDS juntos.

2- Adoração aos Olimpianos – Através da TV, jovens seguem sem reflexão os falsos ícones por lá estampados.

3- Degradação do Corpo e da Idéia – O nosso corpo e os livros estão cada vez mais esquecidos.

4- Exaltação da Idiotia – Somos doutrinados por mãos invisíveis e nos adequamos a amar tudo o que é idiota.

5- Empobrecimento Espiritual – O individualismo reina e a preocupação geral é mais com a camada material que apodrece o que realmente somos.

6- Poluição da Arte – A arte, ferramente indispensável para o desenvolvimento humano, está cada vez mais poluída com as intoxicações providas pelo desejo de lucro de grandes corporações.

7- Quebra da Corrente Rebelde – A capacidade de união de jovens, mentes que não aceitam as leis que favorecem os homens-estrume, está cada vez mais enfraquecida, seja por surgimento de inúmeras tribos e manifestações setoriais ou por pura política da educação.

8- Dependência ao Galo – Muitas das vezes acreditamos que não há vida sem uma nota de 50 Reais na mão. Isto é ultrajante. Se há espírito, há vida!

9- Consternação Sexual – Algo que faz parte de nossa natureza, se torna cada vez mais complicado, cada vez mais complexo e desordenado por pura influência cultural. Existe o pino, o buraco e a procriação. Só isso.

10- Gameficação da Vitalidade Humana – Por sermos da geração video-game, não damos valor à vida. A morte se repete de maneira banal e no fundo sempre achamos que temos uma segunda chance.

Elocubrado por Bispo Barfly