Réquiem para um relógio

Nos carnavais da vida usufruimos do tempo de outrem como se sugassemos sexo sofregadamente nas esquinas dos carmelitas numa luxúria impensável deliciosa enlouquecedoramente perigosa voltamos um dia sem saber pq para gastar um pouco mais do seu relógio.

Dá um bizu no Youtuba + um teaser das mixagens – Impactando Frontalmente #rap #rock #reggae #mix #protools

http://bit.ly/96yz8j

Já mixamos metade do nosso disco. Você pode ouvir prévias no
http://www.myspace.com/homensdupantano

Grutaria já voltou Ouça no mini-ipod da http://www.radiogruta.com
ou em http://www.grutaria.podomatic.com

E twitte q te ouço e te respondo

http://www.twitter.com/homensdopantano

Dei tb uma guaridaba no nosso Trama Virtual

http://www.tramavirtual.com.br/homens_do_pantano

No fundo do Rio, choro

© Elaine Hill 2009 http://www.elainehill.co.uk

Nada é sonho. Quando estamos debaixo d´água. Afogados na ilusão que o topo é a saída. De nada adianta nadar até a outra margem do rio.

Mesmo perspicazes, às vezes eu e meus companheiros apenas remamos contra a maré. Ao contrário do que diz o ditado: quando a água bate na bunda não necessariamente aprendemos a nadar.

Morremos afogados, com uma pedra amarrada a nossos pés. Direto para o fundo, para o fundo de um poço sem fundo.

Enquanto outros brilham como o sol acima da linha d´água, permanecemos inertes, deitados, respirando lama. Solertes, desmiolados, sonhando com a superfície. Supérfluos, pedras, cascalhos no assoalho do ribeirão.

Postado por Sombr-1-o