Fome não se come

hamburger
Quanto menos se come

Mais se vive

Alimente suas frustrações

enchendo a boca de vento

O que é a fome?

Se não uma ilusão

do vazio

O que é o prolongamento da vida?

Se não o atraso da morte que virá

inexoravelmente

Não coma!

Estilo faquir!

Pai nosso poético

crazy peruAmigavelmente discordando

pois sou eu mesmo um deus malandro

Dedico-me a dedilhar meu violino

componho árias melodiosas

não existe algo desse tino

são apenas mentiras graciosas

No mistério da vida

É mister saber que somos nada

Cada pedaço, uma parada

cada cabeça desmiolada

Folhas soltas ao vento

voltam violentas

doenças dentro

de uma rara cepa

vírus verão que

esta vertente vencerá

vamos nessa

rumo a morte

sem pressa

troco dois dedos de prosa

com os deuses e as deusas

meto medo nas medusas

largo o dedo nas confusas

saio correndo

mas não tenho medo

assassino sorrindo

vaticino um horrendo

fim

pra toda religião chinfrim

Gosto de tal ânsia

como um belo vômito

regurgita ideias toscas

empurra-as abismo abaixo

vamos cavar uma bela cova

para enterrar toda velha nova

imbecilidade atroz

comungo de seu pensamento

ser anta simplesmente

não adianta

Dizendo tudo aquilo que é indizível

Diga agora garoto

Diga agora garoto

A poesia diz o que ninguém mais diz

os discursos esquecidos

as lamentações bizarras

o maniqueísmo underground

Do fundo do poço

emerjo só osso

falanges teclam ideias

desconexas – dentro de suas sinapses

Tudo começa a fazer sentido

Aquilo que foi esquecido

Inimaginável amor bandido

Letras love me

Elas párias velhas

Surgem de cada recôndito

Para atacar o seu cérebro

Sinta-se ameaçado

Quiçá esta saraivada poética

Faça-te flanar como uma herética

que blasfema contra tudo

que é sagrado

aqui do meu lado

cada poesia vale  um dia

cada verso

um universo

Olho de lince


ao olhar um semblante tranquilo
apenas imagino se aquilo
é um sorriso escondido
ou uma cara de enfado

ao sonhar com uma vida melhor
percebemos que acordar é pior
e voltamos pro cobertor quente
o travesseiro, ele sim, ama a gente

tanta gente é indigente
tanta gente nesse mundo
tanda imundície nas vielas
tanta gente nas favelas

num comício imaginário
políticos respiram um ar pesado
cairam como um otário
vendo o fuzil armado

Postado por G-Shakespear

10 razões para o suícidio

Torcida dos Homens do Pântano

1- Não completude dos planos secretos de sua mente

2- Decepções com o estado ecológico do multiverso

3- Descoberta das múltiplas dimensões alternativas

4- Ambivalência dos discursos terrenos

5- Superioridade da ideologia religiosa ignóbil e fraca

6- Inverdades que se multiplicam

7- A felicidade como obrigação

8- Acreditar que na outra vida existirão outras drogas mais poderosas

9- Desconhecimento total, pasmaceira terrível, o plano das idéias se agiganta

10- Tédio

Postado por Indignado Depressivo

Montanha longíqua do sentido total

perniciosos agentes que julgam tudo saber
apenas lambem de leve a única verdade
o sentido é a utopia final deste universo
a lógica é a míriade de opções que avolumam-se

no meu canto quente apenas destrato a realidade
fujo da ilógica porém profunda vaidade
inspiro-me no nexo causal da existência plena
vislumbro um fracasso retumbante travestido de vida

aí pergunto: Existe tanto espaço assim para a angústia?
qual será o tamanho do rombo deixado pela explosão
tamanho sentimento golfa a probabilidade do acerto completo
ou pequenos traços de entusiasmo amam o poder que emana do vigor

prestígio é o topo da montanha inalcançável
escarpas impossíveis de galgar surgem a qualquer momento
memorizo, mesmerizo, entronizo o entorno da subida
na sequência peço guarida, sinto minha ferida ardida

o machucado putrefacto verte pus por todo lado
lastra o lacre rompido do imutável
define o caminho que subirá aos céus
do alto, do meio do caminho, será que saberei subir sozinho?

somente o escalador constante pode perceber a dúvida ruminante
somente a dor lancinante pode entender a cegueira total
somente a visão lúcida transferirá o sentido das mentes para os olhares
e quando finalmente olharmos, veremos que nada ainda faz sentido

Postado por José Jacaré

Desligando as conexões

Van Gosling pediu para que eu viesse aqui para contar uma coisa para vocês. A morte é fútil, nada mais é do que apenas um traço. A própria vida inexiste, apenas no pensamento dos livros não lidos, das páginas não escritas. De cada capítulo de sua vida, guardas um mágoa diferente. Na floresta das ilusões temos a impressão de que caem folhas que emanam um maná poderoso.

Um líquido divino que daria a juventude tenra, terna e eterna para cada um de nós. Será que isso realmente acontece. Alimente-se de sementes, alivie-se frente a frente com a fronte seca. Seque apenas o fluxo de consciência que escorre da sua mente. Meta a cara no pequeno vestíbulo que dá passagem interdimensional. Você conhece esse lugar? Já esteve lá? Como conhecer o momento delineador do seu futuro. Escuro…

Será que se fosse assim?

Homem-Ampulheta
Não vê o tempo
Passar
Vê o mundo
Deslocar-se
Se o se jogasse
Seria outro jogo!

Reflexões sobre o movimento

O teste verdadeiro de uma caneta

é passar da tinta para o papel

os mais puros

e verdadeiros sentimentos

Quando nós somos penas eficientes

podemos destrinchar

exatamente

o sentimento do mundo.

Nesse nano-segundo

que as portas abrem

por causa da inércia contra o movimento que vai,

nesse exato momento,

podemos vislumbrar a verdade,

a realidade,

a imaginação,

o verdadeiro âmago daqueles que vemos,

mas tudo isso

só existirá dentro da sua mente.

O jogo da vida

No jogo da vida

a bola muitas vezes é quadrada

Se a sua barriga

está criando vida própria

Deves saber a hora de parar

O alcool, as drogas, a vida desgregrada

Tudo isso o corpo castiga.

O corpo é maior que Deus.

Você é a força-motriz.

És sua própria meretriz

Arranque este mal pela raiz.

A ilusão controla toda mente fraca.

Sangue de barata, limpe suas patas antes de pisar

o solo sagrado do ser humano.

O planeta terra avisa: Deus nenhum está superior a mim.